Como empresas americanas se beneficiam quando dólar cai

E quando o dólar cai? O Forex e o negócio de comprar e vender dólares apesar das flutuações tem sido promissor. Contudo muitos investidores acreditam que uma queda no valor do dólar americano é uma coisa ruim, mas o outro lado da equação é que um dólar fraco apresenta várias oportunidades de ganhar muito dinheiro.

É óbvio que a queda do valor do dólar diminui seu poder de compra internacionalmente e isso acaba se traduzindo no nível do consumidor que vive e mora nos Estados Unidos.

Por exemplo, um dólar fraco aumenta o custo de importação de petróleo, fazendo com que os preços dos subsídios do petróleo como diesel e gasolina subam o preço. Isso significa que um dólar compra menos gasolina e isso prejudica muitos americanos e consumidores.

Quem ganha quando o preço do dólar cai?

Como empresas americanas se beneficiam quando dólar cai

Para saber mais leia sobre o impacto das flutuações monetárias. O fato é que um mercado com dólar fraco e dólar forte faz toda diferença para as pessoas comuns.

E embora esse cenário seja infeliz, os investidores americanos podem se vingar, se é que podemos dizer assim, ele investem em ações de corporações multinacionais americanas, que obtêm uma parte significativa de seus lucros no exterior.

À medida que mais mercados emergentes adquirem o gosto pelos produtos americanos, essas empresas enviarão mais produtos para todo o mundo, aumentando seus resultados financeiros e, talvez, o retorno para os acionistas.

Como multinacionais se beneficiam na baixa do dólar?

Então, como essas empresas multinacionais se beneficiam quando o dólar cai? Digamos que uma empresa americana tenha muitos negócios na Europa e o euro esteja forte em relação ao dólar.

Os lucros da empresa na Europa serão denominados em euros e, quando esses euros forem convertidos em relação a um dólar fraco, haverá mais dólares para a empresa americana e um bom choque para os resultados financeiros.

Melhores margens de lucro geralmente se traduzem em melhores resultados para os acionistas.

Empresas estrangeiras e sua relação com o valor do dólar

Dois dos melhores exemplos de multinacionais americanas são McDonald’s (NYSE: MCD) e

Procter & Gamble (NYSE: PG). Essas duas empresas estão entre as maiores dos Estados Unidos e as mais reconhecidas no cenário global.

O McDonald’s tem um reconhecimento de marca incomparável e milhões de lares em todo o mundo têm pelo menos um produto da Procter & Gamble.

Ambas as empresas obtêm parcelas substanciais de suas vendas anuais nos mercados internacionais, o que as coloca em uma posição privilegiada para se beneficiar quando o dólar cair.

A Procter & Gamble, em particular, se beneficia quando o dólar está fraco porque fabrica uma boa quantidade de seus produtos nos Estados Unidos. Duas de suas maiores rivais, Nestlé e Unilever (NYSE: ONU), são empresas estrangeiras.

Vamos usar o exemplo do euro, já que Nestlé e Unilever são empresas europeias. Um euro forte pode prejudicar os resultados financeiros dessas empresas, enquanto a P&G aumenta seus lucros por meio de um dólar fraco.

Provavelmente é exagero dizer que executivos de multinacionais americanas passam o tempo torcendo por um dólar mais fraco, mas a realidade é que suas empresas se beneficiam com o cenário.

Dólar cai, acionistas de multinacionais se beneficiam da queda?

A evidência empírica apóia a noção de que os acionistas das multinacionais americanas ganham quando o dólar perde. Basta procurar o McDonald’s como exemplo.

Compare um gráfico das ações do McDonald’s com o US Dollar Index, que acompanha o desempenho do dólar em relação a uma cesta das principais moedas e os resultados são surpreendentes.

Quanto mais Big Macs e batatas fritas são engolidos em países com moedas que estão superando o dólar, mais os acionistas do McDonald’s se beneficiam.

Embora os investidores se beneficiem da valorização do capital nas multinacionais quando o dólar está fraco, é difícil quantificar se os lucros agregados se traduzem em dividendos mais elevados para os acionistas.

Dito isso, o McDonald’s e a P&G já aumentaram seus dividendos durante as quedas do dólar, então isso não prejudica as chances de um aumento nos dividendos quando o dólar está caindo para aumentar a confiança dos investidores.

Outra forma de os acionistas se beneficiarem quando o dólar está fraco é por meio de aquisições. Um dólar fraco pode ser inebriante para empresas estrangeiras que buscam adquirir empresas americanas sólidas com um desconto.

Isso não se limita às pequenas empresas americanas, já que a Anheuser-Busch, uma verdadeira multinacional americana e uma das corporações mais veneráveis ​​do país, foi adquirida pela InBev (OTCBB: AHBIF ) em 2008 devido em parte à força do euro em relação ao dólar.

Acionistas de multinacionais se beneficiam quando o dólar cai

Exportadores dos Estados Unidos e o preço do dólar

Existem outros benefícios em um dólar mais fraco para os grandes exportadores dos EUA. Para começar, eles podem aumentar seus preços em moeda doméstica, que se traduzem no mesmo preço no exterior. Preços mais altos equivalem a lucros mais altos .

Se o valor do dólar permanecer consistentemente fraco por longos períodos de tempo, as multinacionais americanas também podem ser compelidas a manter mais operações de manufatura e produção nos Estados Unidos, porque o custo dos produtos estrangeiros pode ser mais alto.

Há um efeito cascata no fato de que mais americanos estão trabalhando, o que beneficia a economia dos Estados Unidos em geral. É claro que o Tio Sam gosta quando multinacionais gigantes ganham mais dinheiro, porque isso significa que pagarão mais impostos.

Embora o aumento da carga tributária nunca seja bem-vindo pelos executivos da empresa, o IRS com certeza adora e raramente é punitivo o suficiente para impactar significativamente o preço das ações, para alívio dos acionistas.

Armadilhas de um dólar enfraquecido

Da perspectiva do acionista, comprar dólar fraco pode ser uma coisa boa em doses moderadas para alguns, mas há armadilhas em uma queda prolongada do dólar.

Obviamente, quando o preço do dólar está fraco reduz o poder de compra dos consumidores americanos, e isso pode enviá-los para marcas genéricas, em vez de ofertas premium de custo mais alto produzidas por multinacionais.

Um dólar fraco também pode impactar o comércio com nações com moedas fortes. Algumas empresas constroem fábricas ou assinam contratos plurianuais prevendo uma determinada taxa de conversão de moeda.

Uma grande mudança pode pesar nos resultados financeiros de uma empresa para continuar convertendo um dólar fraco em uma moeda local forte e levar as empresas estrangeiras a reduzir o comércio com os EUA.

No entanto, a queda do dólar aqui é o potencial de empregos perdidos e receitas fiscais mais baixas.

Leia também esses artigos relacionados:

Ganhar dinheiro em períodos de dólar em baixa

Como já vimos acima, períodos de fraqueza do dólar, ou seja, quando o dólar cai, muitos podem se beneficiar e os acionistas de multinacionais americanas não alguns deles.

As tendências históricas têm apoiado essa tendência, mas esses retornos organizados geralmente ocorrem em períodos de vários trimestres, não anos.

Uma queda do dólar que se estenda por cinco ou dez anos não é um bom negócio e torna as empresas americanas e seus acionistas vulneráveis ​​a aquisições por rivais estrangeiros.

Portanto, para ser benéfico para qualquer portfólio, a queda do dólar deve ser por apenas alguns meses, então, chega aquela hora de torcer para que o preços do dólar suba.

No Brasil quem investe na venda e compra de dólar tem experimentado muita instabilidade especialmente com a chegada do nosso governo e posteriormente com a pandemia criada pelo COVID-19, veja o gráfico abaixo:

Gráfico do Valor do Dólar histórico

Leave A Comment