6 procedimentos para fazer antes de viver no exterior

85 / 100 SEO Score

Pensando em morar e viver no exterior? Você não está sozinho existe uma multidão de pessoas querendo sair dos seus países para estudar, morar ou fazer intercâmbio, outros só querem passear.

Nos últimos anos vimos acontecer um êxodo acontecendo no Brasil e, um número cada vez maior de brasileiros está deixando o país rumo a oportunidades de trabalho, acensão na carreira, aprimoramento profissional e interesse em aprender uma nova língua.

6 procedimentos para fazer antes de viver no exterior

Em alguns países, um custo pode ser baixos outros a qualidade de vida e segurança não tem comparação, contudo, ir para um país onde a economia é crescente ou estável significa que você não economizará dólares ou dinheiro local – você também poderá ganhar muito dinheiro.

Morar e viver no exterior

Os Estados Unidos é a nação que muitos procuram por inúmeros qualitativos, mas tem nações como as do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) que oferecem grandes incentivos financeiros para quem é de outros países e deseja viver no exterior

Muitos países em desenvolvimento tem sim oportunidades promissoras para investimento, empréstimos baratos e financiamentos com juros mais baixos.

Mas antes de contratar um empréstimo no EUA ou investir em imóveis na China , certifique-se de compreender as verdadeiras implicações financeiras de deixar o seu país natal.

Mudar-se para o exterior sem um plano financeiro concreto pode deixá-lo sem moradia, sem acesso a moeda ou ser incapaz de voltar rapidamente para o país de origem em uma emergência.

Abaixo estão 7 atitudes relacionados ao uso do dinheiro de forma inteligente para ser feito antes de se mudar para os Estados Unidos, Inglaterra, Portugal ou outro país no exterior.

1. Comece a economizar dinheiro agora

O dólar hoje estava em torno de R$ 4,05 mas a semana passada estava R$ 3,75. Se você está pensando seriamente em viver no exterior, a hora de começar a economizar dinheiro é agora.

É ótimo ter sete a nove meses de despesas no guardado no banco – ou em uma carteira digital de fácil acesso e com baixo risco – comprar dólar, euro ou libra esterlina com câmbio baixo antes de você se mudar para o exterior pode render uma boa economia.

Você pode precisar de mais moeda estrangeira ou menos moeda dependendo do seu estilo de vida. A quantia exata que você deve economizar dependerá também da sua renda e do seu trabalho, status familiar, estilo de vida, taxa de câmbio atual e sua rede de contato local no exterior.

Como futuro expatriado, não planeje apenas os custos de mudança para o exterior. Pense nos custos de acomodação, transporte, compra de móveis, custo de vida nos primeiros meses e também nos custos ao voar de volta para visitar familiares e amigos.

Se você tiver a oportunidade de se mudar para o exterior antes de atingir sua meta financeira, certifique-se de ter pelo menos os recursos em dólar para cobrir despesas de moradia, incluindo depósitos de segurança e outros gastos de acomodação, além de despesas emergenciais de saúde e repatriação.

2. Crie um orçamento para viver no exterior

É ótimo economizar, mas você também deve entender o custo de vida em seu novo país. Se você não tem certeza de quanto as coisas realmente custam, suas economias podem não durar tanto quanto você pensa e terá que compra mais dólares para reposição.

Antes de se mudar para outro país, calcule quais os custos de moradia, de alimentação, educação, entretenimento, transporte, serviços públicos e seguro de saúde e seguro vida em seu novo país.

A partir daí, você pode criar um orçamento mensal com base em sua receita atual e despesas projetadas baseada na conversão do câmbio da sua moeda, se você vai enviar renda do seus país para o exterior.

Você pode encontrar amostra de custos de vida de vários países em sites online, blogs de imigrantes e expatriados, listas de discussão e grupos do Facebook.

Em algumas plataformas, em poucos movimentos e com calculadoras online de custo de vida, você conseguirá planejar seu orçamento mensal no país da moradia em poucos minutos.

Depois de se mudar para o exterior, inicie o acompanhamento de suas despesas diárias por alguns meses e veja como seu orçamento se comporta e qual o custo ideal de sobrevivência e diversão – claro!

Feito isso, você pode ir ajustando seus gastos de acordo com as suas necessidades.

Escolha um banco para abrir conta bancária antes de ir para o exterior

3. Escolha um banco para abrir conta bancária antes de ir para o exterior

Se você estiver indo viver no exterior em um país com um sistema bancário menos desenvolvido, pesquise quais as instituições financeiras e bancárias atendem não-imigrantes com antecedência.

Concentre-se nas redes de compensação internacionais do banco e se elas emitem cartões de crédito no estilo americano com as marcas Visa ou MasterCard.

Você também pode verificar se o banco dá acesso a caixas eletrônicos compartilhados do tipo ATM (banco 24horas) ou de uma rede de compensação de pagamento internacional, como a Cirrus.

Quando bancos e instituições financeiras bancárias participam de redes ou possuem parcerias orientadas para o consumidor, é um bom sinal que eles tenham sido avaliados por outras grandes empresas e são confiáveis.

Você também deve pesquisar se os depósitos bancários em dinheiro são garantidos, descubra se governo do país anfitrião garante as contas bancárias, considere também a estabilidade econômica do país e do governo.

Se o fiador da instituição for uma organização privada, pesquise a força e a reputação da organização ou grupo de investimento.

Depois de verificar se o banco é confiável, certifique-se de analisar variáveis ​​como taxas de juros, tarifas de serviços,  taxas bancárias e acesso a caixas eletrônicos.

Se você está pensando em comprar uma casa em seu novo país ou precisar de ajuda com o custo da mudança, escolha um banco que ofereça hipotecas ou empréstimos pessoais.

Por fim, verifique se os bancos privados em seu país de destino permitem que os cidadãos brasileiros abram uma conta bancária.

Em alguns países, os bancos privados podem hesitar ou mesmo recusar-se a permissão que os cidadãos do Brasil abram contas correntes.

Esses bancos podem não ser capazes de cumprir a “Lei de Conformidade Fiscal de Contas Estrangeiras”, que exige que eles informem à Receita Federal das suas contas bancárias mantidas pelos não-imigrantes.

4. Abra sua conta bancária o mais rápido possível

Se possível, inicie o processo de solicitação e abertura de uma conta bancária no exterior antes de sair do Brasil. Embora talvez não seja possível abrir uma conta antes de chegar ao país anfitrião, mesmo a contas digital online, você ainda pode reunir todos os documentos necessários ao chegar lá.

Nos Estados Unidos por exemplo, muitos bancos abrem contas com apenas o passaporte, um endereço local para configurar o Zip Code e, não precisa estar no nome do solicitante, e deposito inicial em média de US$ 100 dólares.

Procrastinar a na abertura de uma conta bancária podem causar muito estresse financeiro principalmente para quem precisa enviar remessa internacional.

Sem uma conta corrente local ou um ID, você pode ter problemas em locar uma moradia, obter um cartão de crédito ou comprar um celular, ou até descontar o seu salário (check).

Entre em contato com seu novo banco antes de se mudar, se puder, e pergunte quais documentos você precisará para dar o pontapé inicial quando chegar no país anfitrião.

5. Entenda os impostos para não-imigrantes e expatriados

Esperando pegar um avião e se safar das suas taxas de impostos? Mesmo se você estiver a milhares de quilômetros de distância, ainda está no radar do IRPF.

O Brasil exigem que seus cidadãos nativos apresentem devoluções de impostos e paguem impostos quando residem no exterior, mesmo que também apresentem uma declaração de imposto no país anfitrião.

Isso não significa necessariamente que você será taxado em dobro, para não correr riscos, procure entender o que o Leão diz a respeito de cidadãos que trabalham e possuem renda no exterior.

Dada a complexidade dessas questões – e as duras penalidades por descumprimento – discuta sua situação com um contador, advogado ou consultor de imigração qualificado antes de se mudar para o exterior.

6. Mantenha seu crédito pessoal sob controle

Você tem crédito bom no Brasil e uma excelente pontuação de crédito, deixar o país para morar e viver no exterior por um período prolongado pode fazer com que essa pontuação caia – e cause problemas de crédito e financeiros quando você voltar para casa.

Quando a maioria das pessoas volta para o Brasil depois de viver no exterior, elas em geral querem comprar uma casa e um carro financiado.

Muitos ficam surpresos ao descobrir que não têm mais histórico, score de crédito ou uma pontuação e aí descobre que precisam reestabelecer seu crédito.

Para evitar isso, lembre-se de usar um cartão de crédito do Brasil algumas vezes por ano no país que estiver residindo.

Comprar um par de livros na Amazon.com – e pagar sua fatura no vencimento – pode manter sua pontuação de crédito estável e impecável.

7. Comprar dólar e transferir para o exterior

A cada ano, cerca de centenas de milhares de brasileiros enviam bilhões de dólares para seus cônjuges, famílias, parentes e amigos para os Estados Unidos e ouros países no exterior.

A boa notícia para os remetentes de dólar e moedas de outras nações é que os custos dessas remessas diminuíram e as opções se expandiram e se popularizaram ao longo dos anos principalmente em plataformas online como a Remessa Online e a TransferWise.

Além disso, os novos regulamentos federais de proteção ao consumidor em vigor exigem que os serviços de transferência de dinheiro forneçam a divulgação de pré-pagamento, das taxas de câmbio, a quantia de moeda estrangeira a ser entregue e as taxas da transação, além de terem que resolver possíveis erros.

Alguns serviços de permitem enviar dinheiro da sua conta bancária e entregá-lo ao banco do destinatário. Você geralmente pode organizar essas transferências online ou por telefone, fornecendo os números de conta e roteamento para os bancos de envio e recebimento, mas isso é muito caro!

Se você tiver uma conta no Brasil, e uma conta sua ou de terceiro no exterior, você poderá usá-la em parte da transação, seja para financiar a transferência ou receber o dinheiro lá fora.

Nesse site você encontra muitas dicas de como fazer transferências de moeda estrangeira com segurança.

Quanto a compra de dólar se você for morar e viver no exterior mas sua renda principal é enviada do Brasil, procure uma empresa de transferencia de dinheiro internacional que seja transparente e que entrega a remessa em um curto espaço de tempo.

Boa Sorte!

  • Add Your Comment